Atleta da equipe de bicicross de Indaiatuba representa o Brasil nas Olímpiadas de Tóquio

Jubinsk

Compartilhe:

Priscilla Stevaux compete pela cidade desde 2018 e disputa evento pela segunda vez

Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 começam na sexta-feira (23), após adiamento ocasionado pela pandemia de Covid-19, e Indaiatuba terá uma representante na equipe brasileira: a ciclista Priscilla Stevaux, 28 anos, que integra o time da Secretaria Municipal de Esportes/ACBI (Associação de Ciclismo BMX de Indaiatuba) desde 2018. Esta será a segunda participação da atleta no principal evento multiesportivo do mundo.


“Comecei no BMX em 2001, inspirada pelo meu irmão Douglas, que é um ano mais velho que eu e hoje é meu treinador”, conta Priscilla, que nasceu em Sorocaba. “Tudo começou quando passamos em frente a uma pista de bicicross com nosso pai, onde acontecia uma competição. Logo começamos a treinar e entramos praticamente juntos na Seleção Brasileira: o Douglas em 2009, e eu em 2010”.


Ainda em 2001, Priscilla participaria de sua primeira competição, mas foi no ano seguinte que ganharia destaque. “Começamos a treinar muito e participei do meu primeiro Campeonato Mundial em 2002, na cidade de Paulínia. Tinha apenas 9 anos de idade e fui a terceira colocada. No Mundial de 2006 fui a sexta colocada”, lembra.
Após conquistar seu primeiro título nacional, em 2009, entrou para a Seleção Brasileira. “Entrei para a Seleção Brasileira e minha estreia foi no Mundial de 2011, na Dinamarca. Fui finalista e a sexta melhor do mundo, já na categoria profissional”, recorda. “O BMX entrou nas Olimpíadas em 2008 e já almejava ser como meus ídolos, um dia alcançar este objetivo e representar o Brasil na maior competição do esporte mundial”.


Realização
“Consegui concretizar este sonho, junto ao meu irmão, ao conquistar uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro”, afirma Priscilla. “Foi uma experiência única poder representar o meu país em casa, com a energia dos brasileiros, com a torcida de toda a minha família e amigos em um evento tão grandioso”.
Depois de quatro títulos brasileiros e um pan-americano na categoria Elite, a ciclista está de volta aos Jogos Olímpicos em Tóquio. “Voltamos com grandes expectativas e muita energia positiva”, destaca, aproveitando para falar sobre sua chegada à Indaiatuba. “Já são três anos competindo pela cidade, que me deu todo o suporte para chegar às Olimpíadas”.


Priscilla veio para Indaiatuba em 2018 e logo conquistou bons resultados. “Entrei na equipe da Secretaria de Esportes/ACBI em 2018 e poder ter vindo para cá foi muito importante para conquistar o índice olímpico e representar a cidade também nos Jogos Olímpicos de Tóquio”.

Gestão compartilhada
Para o secretário municipal de Esportes, Marcos Antônio de Moraes, o Marquinhos, a vinda da atleta para Indaiatuba foi importante. “A presença da Priscilla, atleta da Secretaria Municipal de Esportes, em parceria com a ACBI, é fruto de um trabalho de gestão compartilhada, com o apoio do prefeito Nilson Gaspar”, destaca.
Investimento que reflete em todos os setores da pasta. “Indaiatuba respira esporte, graças a uma administração que investe. Hoje temos os projetos educacionais, de participação e de alto rendimento. Um trabalho em equipe muito forte, com coordenação comprometida com a população”, enfatiza o secretário. “Importante destacarmos que Indaiatuba atualmente é bicampeã dos Jogos Regionais, conquistou seus melhores resultados nos Jogos Abertos e pode ter certeza: estamos preparados para novos desafios”. (Fábio Alexandre RCI/PMI)

Leia o anterior

Nova antena vai permitir o monitoramento da Amazônia em tempo real

Leia a seguir

Defesa Civil de Indaiatuba alerta sobre o período de estiagem e o risco de incêndio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *