Seleção brasileira feminina busca vaga inédita no Mundial de Curling

Compartilhe:

País não terá representantes na modalidade durante os Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022, mas equipe feminina está na Finlândia para a disputa das eliminatórias para o mundial que acontecerá em março, no Canadá. O Olympics.com conversou com Isis Oliveira, skip do time do Brasil sobre as expectativas para a competição.
O curling nos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022 não terá a participação do Brasil, que não avançou nos torneios pré-Olímpicos. No entanto, o país ainda está na luta por um lugar na Campeonato Mundial feminino, que acontecerá em Prince George, na Colúmbia Britânica, no Canadá, entre 19 e 27 de março.
O quarteto brasileiro já está em Lohja, na Finlândia, a oeste da capital, Helsinque, para disputar entre os dias 18 e 22 de janeiro, o evento de classificação para o mundial, no Instituto de Esportes de Kisakallio. Ao todo serão sete equipes (Brasil, República Tcheca, Dinamarca, Finlândia, Hong Kong, Letônia e Noruega) e duas vagas em jogo, para as campeãs e vice-campeãs. Dinamarca e Noruega já venceram o mundial no passado. As dinamarquesas faturaram o título em 1982, enquanto que as norueguesas em 1990 e 1991. As equipes jogam em um sistema de todos contra todos. As três melhores equipes dessa fase avançam para uma próxima e aí vão decidir, também todos contra todos, as que se classificarão para o mundial.
Ao mesmo tempo também acontece o evento qualificação para o mundial entre os homens, mas os brasileiros decidiram não participar por conta da pandemia da Covid-19.
As brasileiras estarão representadas pelas paulistanas Isis Oliveira (skip) e Sarah Lipi, a pernambucana Kenya Franz e a sergipana Marcelia Melo, todas elas radicadas em Vancouver, no Canadá, país com grande tradição no curling. O Olympics.com falou nesta semana com Isis Oliveira sobre as chances do Brasil no torneio rumo ao mundial do mês de março.
Seleção Brasileira Feminina de Curling que está indo representar o Brasil no Campeonato Mundial Classificatório agora em Janeiro na Finlândia. 🥌🌎

descrição do time brasileiro:
Skip: Isis Oliveira (@isisvancouver)
Third: Sarah Lipi (@sarahlipi)
Second: Kenya Franz (@kenyafranz)
Lead: Marcelia Melo (@marceliagdmelo)
Head Coach: Christine Mathews
Coach Técnico: Darin Fenton

Próxima Competição:
WQE – World Qualifying Event 2022
Datas: 17 a 22 de Janeiro, 2022
Onde: Lohja, Finlandia.

Sobre o time:
As 4 atletas nasceram em diferentes partes do Brasil (São Paulo, Bonito e Aracaju) e hoje em dia vivem e treinam na área de Vancouver, no Canadá.

O time se formou no final de 2019 com o objetivo de se tornarem através de muito treino melhores atletas e com muito respeito propagarem a cultura e o esporte do curling. O time se nomeou Onda Brasil para mostrar que, assim como o mar, elas vieram com muita energia alastrar o curling brasileiro mundo a fora.

Guinadas por 2 técnicos canadenses, a equipe vem evoluindo muito. Isis Oliveira é a Skip (capitã do time) e ela já tem histórico em Seleções Brasileiras desde 2015 quando representou o Brasil no mundial de times mistos. A competição na Finlândia será para a Sarah, Kenya e Marcelia a primeira vez em que as atletas representarão o Brasil em um campeonato Mundial.
Curling é diversão, mistura a parte técnica, física, mental e social. Para mim, o curling é definido pelo trabalho conjunto de quatro pessoas. É preciso jogar a pedra direito, varrer o gelo para dar velocidade, curva…rumo para a pedra. Quem está na casa tem que dar a orientação para quem joga a pedra e varre o gelo. O resultado desse trabalho é quando a pedra chega na casa. É uma união e eu amo isso,” diz Isis ao resumir o esporte.
A trajetória
Isis Oliveira é cineasta e vive no Canadá há quase 20 anos, entretanto ironicamente só foi conhecer o curling quando desfrutava das férias no Brasil, quando viu pela televisão os Jogos Olímpicos de Inverno Vancouver 2010. Voltou para lá, reuniu-se com amigas – brasileiras – que também gostaram da modalidade e passaram a praticá-la. Apenas em 2014 se organizaram melhor, com treinador contratado e um método de treinamento. “Em 2014 as coisas passaram a ser mais organizadas, ao mesmo tempo nos demos conta que havia uma confederação brasileira (a Confederação Brasileira de Desportos no Gelo, CBDG) e outros brasileiros que jogavam o curling em outras partes do mundo,” disse Isis.
Em 2015 ela representou o Brasil pela primeira vez, na Pacific International Cup e nunca deixou de fazer parte de uma seleção feminina ou mista. Houve um período em que se afastou, mas voltou. “Estou aqui pronta…o classificatório está para começar, quero logo entrar no gelo para representar o Brasil com orgulho,” completa.
Rumo ao mundial
Para o mundial de março, americanas e canadenses já estão classificadas. As brasileiras ficaram em terceiro no último Americas Challenge, que reuniu seleções das três Américas, o que as habilitou disputar este classificatório da Finlândia. “Temos uma nova chance com esse torneio de agora,” ressalta.
Para Isis, ser parte da seleção brasileira a aproxima ainda mais ao país. “Minha vida toda está no Canadá, mas parte do meu coração está no Brasil e não me desconecto dele,” comenta a paulistana. Ela e suas colegas de equipe começaram no esporte na mesma época e há muitos anos treinam juntas, quando se refere à Sarah Lipi, Kenya Franz e Marcelia Melo. Todas fazem parte do Brazilian Curling Club, que surgiu em 2014 em Vancouver e atualmente reúne entre 60 e 80 brasileiros e canadenses, adultos e crianças e que proporciona aulas, treinamentos e programas no esporte. Dedica-se de cinco a sete dias por semana à modalidade. “Quero mais é competição. Quero que o curling cresça no Brasil e que haja rivalidade entre quem joga curling no Brasil e quem joga no Canadá,” comenta Isis em meio aos risos.
Isis foi a primeira a chegar à Finlândia para a disputa do campeonato, suas companheiras de equipe chegaram dias depois. Do quarteto, apenas a paulistana representou o país antes em competições internacionais. O Brasil estreia na terça-feira dia 18, contra Hong Kong, China. “Estamos com as expectativas de jogar bem, mas jogo é jogo. Em uma análise mais realista, vai ser bem difícil. Estamos juntas há muitas temporadas, mas acho que precisamos de mais bagagem para competir de igual para igual com equipes cujas integrantes jogam desde os seis anos de idade,” acrescentou Isis. Ela acredita no time e no poder que ele possui, mas sabe o que virá pela frente: “Não sei se vitórias ou medalhas vão acontecer desta vez, mas experiência e aprendizado para passar adiante, sim,” completou.
De acordo com as projeções da skip brasileira, vai ser bastante coisa a ser passada adiante para as novas gerações: “Os mais jovens aprendem rápido,” ela disse. “Em menos de 20 anos podemos pensar em uma medalha Olímpica. Vejo evolução em muito pouco tempo e temos atletas ainda mais jovens que estão bem melhores. Não vou durar muito tempo na seleção, não,” conclui.
Os jogos do Brasil no classificatório da Finlândia
• 18 de janeiro – Brasil x Hong Kong, China – 9h*
• 18 de janeiro – Brasil x Dinamarca – 14h*
• 19 de janeiro – Brasil x Finlândia – 9h*
• 20 de janeiro – Brasil x Letônia – 9h*
• 20 de janeiro – Brasil x Noruega – 15h*
• 21 de janeiro – Brasil x República Tcheca – 15h*
• 22 de janeiro – Segunda fase (a depender da colocação do Brasil na primeira fase)
hora local da Finlândia, cinco horas a mais em relação ao horário de Brasília. O curling em Beijing 2022 O curling nos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022 vai acontecer entre 2 e 20 de fevereiro, no Centro Aquático Nacional, em Pequim, que para estes Jogos receberá a alcunha de “cubo de gelo”. Os jogos do Brasil no classificatório da Finlândia • 18 de janeiro – Brasil x Hong Kong, China – 9h
• 18 de janeiro – Brasil x Dinamarca – 14h*
• 19 de janeiro – Brasil x Finlândia – 9h*
• 20 de janeiro – Brasil x Letônia – 9h*
• 20 de janeiro – Brasil x Noruega – 15h*
• 21 de janeiro – Brasil x República Tcheca – 15h*
• 22 de janeiro – Segunda fase (a depender da colocação do Brasil na primeira fase)
*hora local da Finlândia, cinco horas a mais em relação ao horário de Brasília.
O curling em Beijing 2022
O curling nos Jogos Olímpicos de Inverno Beijing 2022 vai acontecer entre 2 e 20 de fevereiro, no Centro Aquático Nacional, em Pequim, que para estes Jogos receberá a alcunha de “cubo de gelo”.
Fonte Olympics.com

Leia o anterior

Pagamento do Auxílio Brasil de R$ 400 e do Auxílio Gás começa hoje

Leia a seguir

Primeira fase da Copa do Brasil tem confrontos definidos por sorteio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *