Greve de ônibus em São Paulo é anunciada para segunda-feira, 06 de junho de 2022

Compartilhe:

Decisão foi tomada em plenária que reuniu motoristas e cobradores de ônibus nesta segunda-feira (30). A partir de quarta-feira (1º), assembleias podem atrasar saída dos coletivos das garagens
ADAMO BAZANI
A cidade de São Paulo poderá ter uma greve na segunda-feira, 06 de junho de 2022.
A decisão foi tomada em plenária realizada pelo Sindmotoristas na tarde desta segunda-feira, 30 de maio de 2022.
A partir de quarta-feira, 1º de junho de 2022, assembleias podem atrasar saída dos coletivos das garagens. São estas assembleias que vão decidir ou não pela greve anunciada para 06 de junho.
As empresas de ônibus não apresentaram uma nova contraproposta, além da sugerida na semana passada de aumento de 10% nos salários parcelado em três vezes, que tinha desagradado a categoria.
As reivindicações da categoria são:
– Reajuste Salarial de 12,47%, mais aumento real;
– Vale Refeição de R$ 33,00 (unitário);
– Equiparação de todos os benefícios para os trabalhadores e trabalhadoras das empresas do sistema complementar (empresas novas);
– Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) de R$ 2.500,00;
– Fim das escalas com uma hora para refeição sem remuneração;
– Reajustes nos valores dos benefícios: Auxílio Funeral, Seguro de Vida, – Convênio Médico e Odontológico etc;
– Adequação das nomenclaturas do Plano de Carreira do Setor de Manutenção, equiparação salarial e promoção para funcionários e funcionárias Fora de Função.
Em nota, a direção do Sindmotoristas disse que sempre se mostrou aberta ao diálogo para a solução do conflito, mas infelizmente não houve cooperação do outro lado, os patrões continuam intransigentes.
“Diante disso, a categoria lutará com todas as armas que tem para fazer valer seus direitos. Vamos confirmar, em assembleias nas garagens, a paralisação. Nenhum ônibus vai rodar na cidade de São Paulo no dia 06 de junho”, afirmou o presidente do sindicato, Valdevan Noventa.
Motoristas e cobradores de ônibus suspenderam as manifestações que afetariam os terminais municipais na capital paulista no dia 25 de maio de 2022.
A informação foi do presidente do Sindmoristas ao Diário do Transporte, Valdevan Noventa.
Segundo o sindicalista, o pedido foi do poder público municipal que teria prometido auxiliar nas negociações com as empresas de ônibus.
Como mostrou o Diário do Transporte, desembargador Davi Furtado Meirelles, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, determinou que circulassem ao menos 80% da frota de ônibus na capital paulista nos horários de pico e 60% nos demais horários, caso ocorra uma paralisação de motoristas e cobradores na tarde desta quarta-feira, 25 de maio de 2022.
Se o Sindicato dos Motoristas descumprisse, poderia ser multado em R$ 50 mil por dia.
A decisão atendeu a uma ação movida pela SPTrans (São Paulo Transporte).
Relembre:
https://diariodotransporte.com.br/2022/05/25/justica-determina-frota-minima-em-caso-de-paralisacao-de-onibus-em-sao-paulo-na-tarde-desta-quarta-25/
Fonte Diário do transporte

Leia o anterior

Prefeitura inicia construção de um novo cemitério municipal no bairro Buru

Leia a seguir

Homem é preso pela Guarda Civil por embriaguez ao volante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *